quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Cilon Orth - Ibia digno de aplausos.


Existem pessoas que simplesmente passam. Com o tempo se transformam em vagas lembranças ou partem para o arquivo do esquecimento.
Outras chegam e marcam nossas vidas, transformando-se em idolos, exemplos
a serem seguidos. Verdadeiras Lendas.
A vida foi  bondosa  comigo. Dando-me o privilégio de conviver, mesmo que rapidamente, com diferenciados.
Entre elas destaco Cilon Orth.

O HELIO GRACIE DO VOLEI IBIA.

Na minha modesta opinião, um dos maiores montenegrinos, em 143 anos de colonização.
Lembro como se tivesse sido ontem (e la se vão 40 anos).
Estava eu sossegado no mundinho de aluno do São João Batista, jogando meu futebol de cada dia, quando tive de encarar um professor de educação física recém  formado, com idéias estranhas e só falando em Vôlei.
Inicio da convivência se revelou pesado. Eu me achava  prejudicado.
Vôlei???
Tentem avaliar o drama.
Jogar vôlei, dentro do meu metro e nada, encarando Dirceu Mombach, Tadeu Finger e outros Gigantes.
Eu so via a bola passar por cima, longe da minha realidade.
Graças  a Deus, Cilon mostrou o quanto nasceu pra ser professor.
Entendeu meu drama, liberando-me do vôlei e conseguindo bolas de futebol, para que eu pudesse chutar meus desafios de aborrecente, rebelde sem causa.
Foi  mais  longe.
O primeiro a me incentivar e elogiar o meu jogo.
Anos mais tarde, longe de Montenegro, percebi que testemunhava o início  de uma Revolução, primeiras letras da maior e mais vitoriosa página, da história  do Esporte Montenegrino.
Meninos do São João, base do Riograndense, com apogeu no Time Frangosul.
História de vitórias, cidade unida em torno de uma paixão, orgulho Ibia, externado em cortadas, rotações e titulos.
A Montenegro vencedora resumida em 5 letras: Cilon.
Triste a cidade sem um esporte ou um clube para representá-la.
Hoje não  temos estádio com bola
rolando, em competições estaduais de futebol .
Não existe mais ginásio lotado comemorando vitórias do vôlei.
Infelizmente estamos resumidos ao zero absoluto .


Vivemos de aplaudir conquistas dos outros. Criticar o fato de nada termos, mas sempre de braços cruzados, esperando que o vizinho faça.
Não surgiram novos Cilons.
Secou a nossa "Orth".
A cegonha colocou às margens do Cai, montegrinos e MONTENEGRINOS.
Na história, poucos fizeram  por merecer Placa, dando nome à ruas.
Cilon o fez com louvor.
Reconhecimento dos serviços relevantes prestados.
Falta apenas nossa gente acordar.
Valorizar a quem tem valor.
Seguir o exemplo. Arregaçar mangas e escrever o nome da Cidade em novas conquistas, no Cenário  do Esporte Gaúcho .
Cilon  Orth.
Esse eu levanto pra aplaudir.




8 comentários:

  1. Esse foi meu mestre e de uma geração CILON o mestre obgda por tudo professor

    ResponderExcluir
  2. Ainda esperamos substituto mas esta difícil a copia nunca e 100 por cento igual ABCD mestre e amigo

    ResponderExcluir
  3. Indiscutível! O "Mestre Cilon",também no futsal foi ele que levou para a cidade, e implantou no nosso time do Ginásio Industrial,o sistema com fixo, alas e pivô! Eu sempre metido a treinador, muitas vezes recorri aos ensinamentos do grande Cilon,sem duvida foi o meu mestre! O que mais posso dizer se não um grande professor, amigo e mestre - " Um beijo no teu coração grande Mestre"!

    ResponderExcluir
  4. Esse é o cara! Também tive a oportunidade de conviver com o Grande Mestre Cilon. O professor, o amigo, o treinador. Quantas e quantas jogos pelo RS à fora, quando ainda não se pensava em receber "R$" pelo vôlei que se praticava. Tudo era motivo de orgulho por representar a nossa cidade, a nossa equipe, o nosso clube. Há 40 anos fora de Montenegro digo que tenho saudades das movimentações que fazíamos, em busca de vitórias. Um fraterno abraço Cilon e um beijo no coração!

    ResponderExcluir
  5. Eu tbém lembro no tempo do São José e ele me levou para o time do Rio-grandense.e eu tinha 11 anos.vivi vôlei até os meus 32 anos onde nossa cidade respirava vôlei.Cilon,meu grande amigo fez a diferença nesta cidade.

    ResponderExcluir
  6. Professor Cilon, lá se vão mais ou menos 45 anos, mas foi com ele que nossas horas de educação física foram as melhores. Meu professor no Jacózinho, muito bom nossas aulas de volei. Saudades desse tempo.

    ResponderExcluir

  7. SERIADOS E MAGAZINES17 de dezembro de 2016 04:01
    Este foi o meu professor de educaçao fisica na decada de 70 no Sao Jose,eu lembro que fazia halterofilismo no fundo do meu quintal com halteres de pedra e la ele sempre me dava nota 100 no fator resistencia.eu era imbativel no apoio peitoral...

    ResponderExcluir