sábado, 15 de abril de 2017

O homem que livrou Lula de levar uma facada.

Quem conhece Lula, não vota em Lula e tem medo da falta de caráter de Lula.
Sofá não se baseia em sites ou mídia.
Vamos no berço da Criatura.


Morcego (***), Sindicalista do ABC na época, tendo testemunhado ao vivo e em cores, garante verdade no revelado. Pra dar sustentabilidade, aponta outros capazes de confirmar.
Procurados,  não  se omitiram e acrescentaram detalhes.
Nomes citados. Alguns omitimos, por receio à represálias.
Na Democracia do ABC, impera a Lei do Cangaço.


Frei Chico, irmão mais velho de Lula e já  Sindicalista influente, o introduziu no "Sistema".
Fato confirmado por todos.
Lula não passava de um moleque deslumbrado, rebelde sem causa, que não podia ver um rabo de saia.
Decidido a pegar uma bela morena, envolvida com movimento, Lula pediu para o irmão introduzi-lo no contexto.
Pensava em cercar,  impressionar e pegar o "Monumento".
Diz a Rapaziada que conseguiu.
Muito nobre da parte dele.
Desde aquela época demonstrou preocupação com a Causa Operária.
Tádinha da Dna. Marisa!..


E Diadema!...
As Avenidas Antônio Piranga e Piraporinha conhecem verdades, capazes de destruir uma Mentira.

Após perda do de dinheiro e saciar a cabeça de baixo, Lula tomou gosto do novo ambiente.
Felino, viu ali um grande filão,  se tornando um autodidata. Dedicou-Se a estudar tudo sobre Sindicalismo, Teorias De Marx, Lenin e Vida de proeminentes Figuras da Esquerda,  a exemplo de Fidel e Che Guevara.
Enquanto o irmão lhe abria portas, mostrando-lhe atalhos, passou a agir de forma peçonhenta, conquistando aliados influentes e se aproximando de Militares e infiltrados do Governo, pra "controlar indesejáveis.
Cresceu rapidamente, visto como acessível,  ganancioso, inescrupuloso, "alugável" e bom de negócio.
O tempo passa, Frei Chico faz parte de Chapa disposta a disputar comando do Sindicato, enquanto Lula, já uma figura representativa, estava envolvido em negociações com  sindicalistas da América do Norte.
Naquele dia, que poderia ter se tornado um Divisor de Águas,  Frei Chico estava em reunião com outros Sindicalistas,  entre eles Sr "G".
Obs: Chamaremos dessa forma,  devido ao "G", ser marcante em seu nome.


Em meio à Reunião entrou um Assessor, portando notícia capaz de derreter metal.
- A nossa Chapa foi impugnada. Lula articulou com "Cumpanheros", tirou a nossa e colocou a dele.
Frei Chico era visto como homem de pouca conversa e que não suportava "trairagem".
Virou o cão.  Catou da gaveta uma "pexeira " ignorante e partiu pra cima do irmão aos berros e disposto a fatia-lo, quando foi impedido por "G".
- Lula, segundo consta, encarou corajosamente a rua e correu léguas, espalhando líquido amarelo a brotar das calças.


Frei Chico, aconselhado a não  estragar sua vida por um bosta,  mais calmo, percebeu ser situação fácil de reverter.
Bastou procurar as Lideranças Militares,  verdadeiros comandantes do Sindicato.
Numa rápida análise da Chapa de Lula, foi determinado sua impugnação. Não  que fossem Militantes de Esquerda ou Patriotas voltados aos Interesses da Categoria.
Resumia-se à  uma alcatéia.  Bandidos de alta periculosidade.
Envolvidos na tramóia levaram um pão bem dado, menos Lula.
Um "bandidinho" capaz de trair o próprio irmão,  deveria ser mantido em Liberdade Vigiada, pois certamente poderia ser útil no futuro.
Como de fato foi.

Se alguém ouvir que Lula foi perseguido e preso por Militares, saibam que é  mentira.
Ele foi preso só no final, período mais brando e nunca foi interrogado ou torturado.
Andou nessa época se escondendo. Foi acolhido na casa de "G", pra também trai-lo mais tarde.

VOU ALI VOMITAR E JÁ VOLTO
Coisas de um País que virou uma coisa.
E Assim o Mundo Gira e o brasil se Afunda


Morcego (***) - Assim chamamos nossas Fontes, garantindo-lhes preservar identidades.
Prestigie quem nos apoia.
Clique nas mensagens dos Patrocinadores.
Conheça seus produtos.
A cada clicada um incentivo, para continuarmos na luta por um País livre de questões não muito claras e de Pragas impregnadas na Sociedade Tupiniquim









Nenhum comentário:

Postar um comentário